Domínio de português e inglês é essencial no mercado de trabalho

Os erros com a língua são os mais comuns nas entrevistas de emprego e prejudicam muitos candidatos. De cada dez, quatro são desclassificados logo nas primeiras etapas dos processos seletivos por não dominarem o português.

As empresas estão mais exigentes. O coordenador do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube), Rafael, conta que no passado, teste de português era exigido apenas para candidatos a vagas de trabalho direto com o público, como atendente de call center. Hoje, as coisas mudaram: “Engenharia, tecnologia da informação, atualmente todos os cursos exigem um bom português”.

O ditado também tem sido usado nos processos seletivos para testar os conhecimentos de português. Para conquistar a vaga de estágio em uma empresa de São Paulo, por exemplo, o candidato não pode errar mais que sete palavras.

Falar inglês é outro pré-requisito para trabalhar em muitas empresas. Para atender essa exigência do mercado, há uma grande busca por cursos de idiomas baratos ou até mesmo de graça. A boa notícia é que eles existem em várias cidades do país.

A maioria dos brasileiros não fala inglês. Pesquisa sobre a fluência na língua inglesa revelou que, em 2013, o Brasil ocupava o 38º lugar em uma lista de 60 países e estava na categoria de "proficiência baixa" em inglês. O país ficou atrás de países como Argentina, Uruguai e Costa Rica.

Quanto mais cedo a pessoa começar a estudar inglês, melhor serão os resultados, mas os professores dizem que é possível aprender a língua e melhorar o currículo em qualquer idade.

 

Fonte: G1.com/Ascom

Contatos

Programação PSG 2017

Jovem Aprendiz