Redes sociais podem afetar produtividade dos jovens no trabalho

 

Os jovens que passam horas navegando pelas redes sociais durante o horário de trabalho podem prejudicar seu futuro profissional. Quem faz o alerta é Manoela Costa, gerente da Page Talent, unidade de negócios da Page Personnel dedicada ao recrutamento de estagiários e trainees. Segundo ela, jovens que não sabem utilizar o Facebook, Twitter, LinkedIn e outras redes de forma equilibrada, podem comprometer sua trajetória profissional.

 

“As redes sociais fazem parte do cotidiano desses jovens. A maioria acessa diariamente pelo smartphone ou pelo computador. O que tem de ser ponderado é a quantidade de horas que esses profissionais passam conectados às redes durante o horário de trabalho. Muitos perdem a concentração, o foco e acabam deixando de realizar ou atrasando a entrega de projetos importantes. O jovem precisa ficar atento ao uso das redes para que isso não seja um entrave no desenvolvimento de sua carreira”, diz.

Por meio de um levantamento realizado nacionalmente em novembro de 2012 com cerca de 200 estagiários e trainees, a Page Talent procurou entender se os jovens utilizavam as redes sociais e por quanto tempo ficavam conectados nesses sites.

Quase metade dessa amostra (46%) afirmou que checa as redes sociais durante o horário de trabalho. E 42% desse mesmo público confidenciou que passa ao menos uma hora por dia ligado nas redes de relacionamento durante o expediente.

Segundo Manoela, a produtividade de um profissional em suas horas de trabalho é um quesito muito utilizado em avaliações periódicas. “Os gestores sempre avaliam o que você conseguiu produzir dentro das horas de trabalho que cumpriu. Os que trabalham em carga horária regular e não conseguem alcançar suas metas, desde que plausíveis e normalmente atingidas pelo restante da equipe, normalmente são os que têm a tendência de acessar as redes com maior frequência – ou os que estão sempre conectados no celular”, diz.

“Claro que não podemos generalizar. Há outros fatores que influenciam na produtividade dos jovens profissionais, como falta de autonomia, de conhecimento, de experiência e de uma gestão bem direcionada”.

Para ela, as redes sociais são benéficas e também podem ser uma aliada no ambiente profissional. “Com elas há a possibilidade de se conectar com pessoas-chave do seu negócio, de se manter informado sobre as empresas relacionadas ao seu ramo de atuação e até mesmo levantar informações relevantes a respeito de qualquer aspecto do dia-a-dia de trabalho no Brasil.

"Para os que não conseguem deixar de acessar suas redes durante o expediente, vai aqui um conselho: façam isso com inteligência", diz. "Assim elas podem melhorar sua produtividade ao invés de prejudicá-la”.

A consultora dá algumas recomendações extras para estagiários e trainees não derraparem no início da carreira:

O que não é legal fazer na rede:

- Falar mal da empresa ou dos colegas/ chefes

- Divulgar informações confidenciais como faturamento, clientes etc

- Expor os concorrentes

- Postar fotos internas (festas, confraternizações)

- Publicar comentários pejorativos

- Tornar público conteúdo muito pessoal

Boas dicas para não fazer feio:

- Utilizar a rede para estratégia de Marketing

- Ampliar a rede de relacionamento

- Receber comentários ou elogios de pessoas antenadas (avalie notícias de mercado, acontecimentos no mundo etc)

- Utilizar as redes como ferramenta de pesquisa sobre as empresas

- Participar ativamente de grupos de interesse/ área de formação / grupos de trabalho

- Ser referência em algum assunto / tema (ex: blogs de trainees, moda etc)

Fonte: Canal Executivo

 

Contatos

Programação PSG 2017

Jovem Aprendiz